Vichyssoise de curgete e caju

 

Vichyssoise curgete e caju

Vegan zucchini & cashew vichyssoise – recipe in EN below

Uma sopa cremosa e versátil, perfeita para consumir quente ou fria. Esta versão não leva natas ou batata. Vegan, sem glúten e bem saborosa.

Quando penso em sopas frias só consigo lembrar-me de gaspacho (que adoro, especialmente esta versão com paprika fumada) ou vichyssoise, o clássico creme de legumes da cozinha francesa, feito com batata, alho francês, cebola, natas e ervas.

Não me recordo da primeira vez que a provei (acho que foi num casamento, era eu miúda). Lembro-me de gostar do sabor e textura cremosa, mas estranhar o facto de ser fria. Anos mais tarde, já andava eu na faculdade, tive uma situação bem caricata que envolveu esta sopa.

Na festa de anos de uma colega curso, num hotel da moda em cascais, eu e o meu amigo João calhámos na mesa dos “suplentes”. Estávamos os dois solteiros na altura e tudo o resto tinha par. Chegámos tarde e ficámos separados por duas ou três pessoas na mesa. O menu era elaborado e o primeiro prato era uma vichyssoise. O João foi dos últimos a ser servido e ao olhar para o prato, gesticulou na minha direção “isto é leite?”, ri-me baixo e do outro lado da mesa abanei a cabeça, “é sopa”. “Hmmm, ok..”, encolheu os ombros e levou a colher à boca, desconfiado, franzindo de imediato o sobrolho. Insatisfeito, chama o empregado, segreda-lhe e manda a sopa para trás. De seguida olha para mim e comenta em voz alta “pedi para aquecer, a minha já estava fria!”. Senti algumas pessoas a segurarem o riso, outras olharam para ele incrédulos, a mim deu-me um ataque de riso enorme e só consegui gesticular “é mesmo assim!”.

Há pessoas que têm o dom de conseguir fazer rir até as almas mais sisudas e o João é uma delas. A vida levou-nos por caminhos diferentes mas a amizade permanece e quando estamos juntos parece que cenas como esta se passaram ainda ontem.

Esta receita veio na última edição da Lux Angola (foto abaixo). Remodelar um clássico como este é sempre um desafio, mas confesso que são os que mais gozo me dão. A textura tinha que ser cremosa e a cor pálida, mas queria uma sopa mais leve e vegan por isso a batata e as natas foram substituídas por curgete e caju e o resultado é delicioso! Podem servir fria ou quente, para o caso de serem como o meu amigo João.

Bom apetite!


Ingredientes:

500g de curgete crua em pedaços (sem casca ou sementes)

2 c. sopa cebola picada

1/2 chávena de chá (cup) de alho francês em rodelas

azeite virgem extra q.b

1 /2 colher de café de noz moscada 

1 colher de café de gengibre ralado e espremido (use penas o sumo)

1 /2 chávena de chá (cup) de cajus crus demolhados*

Água q.b (para acertar consistência)

flor de sal e pimenta preta em moinho a gosto 

orégãos frescos (opcional, para decorar) 

Preparação:

Coloque os cajus escorridos num robot de cozinha ou liquidificador com 1 chávena de água e triture tudo na potência máxima. Vá adicionando mais água, se necessário, para conseguir  uma consistência cremosa e sem grumos, semelhante a natas.  Tempere com azeite, sal e pimenta a gosto, volte a triturar e reserve.

Num tacho em lume médio, aloure a cebola e alho francês num fio de azeite. Junte de seguida a curgete em pedaços e salteie uns minutos (2-3 min.). Adicione os restantes ingredientes e 1 chávena e meia de água. Tape, deixe levantar fervura e coza em lume brando até a curgete estar macia (cerca de 5-7 min.).  Retire 1/2 chávena do caldo que se formou e reserve. Transfira tudo para um robot de cozinha/liquidificador ou use a varinha mágica e triture muito bem. Vá adicionando a água reservada a pouco e pouco, se necessário, até conseguir um creme bem aveludado (não deite demasiada água de uma só vez senão acabará com uma sopa aguada). Prove e ajuste os temperos se necessário, voltando a triturar. Transfira para um recipiente hermético e leve ao frio por 30 min. ou até servir (também a pode consumir morna se preferir).

Na altura de servir adicione algumas colheres de sopa do creme de caju e decore com orégãos frescos ou outras ervas que prefira. Reserve no frigorífico em recipiente hermético até 4 dias.

Nota: utilize de preferência ingredientes biológicos

* Aqui pretende-se utilizar caju seco e cru, ou seja, não torrado. Deve demolhar um mínimo de 8 horas e descartar depois a água da demolha. Caso não tenha tempo para isso, coloque-os em água quente durante 15 min., escorra e utilize de seguida.

LUXL5878

Foto Lux Angola


Vegan zucchini and cashew vichyssoise – English version

This is a vegan version of the old french classic. Perfect for a warm summer day!

Ingredients:

500g raw zucchini in pieces (peeled and without seeds)

2 tbsp chopped onions

1/2 cup leek (chopped)

extra virgin olive oil to taste

1 /4 tsp nuttmeg

1 /2 tsp grated ginger (use only the juice)

1 /2 cup cashews (soaked overnigth and drained)*

water (to adjust consistency)

sea salt and black pepper to taste

fresh oregano (opcional, to decorate) 

Preparation:

In a  high speed blender combine cashews + 1 cup water and blend until creamy (add more water if needed to adjust consistency until you have a cream with no lumps, similar to heavy cream). Season with salt and pepper to taste, blend again and reserve.

In a pan over medium heat, add olive oil and onions until golden. Include leek and zucchini and sauteé for a minute or two. Add the remaining ingredients and seasonings and 1 + 1/2 cups water and bring to a boil. Let it cook for about 5-7 min or until zucchini is soft. Take 1/2 cup of the stock and set aside. Transfer the rest to a blender and blend well, adding some of the reserved stock (bit by bit) to achieve a velvet creme (don’t pour all the water at once or you’ll end up with a watery creme). Taste it, adjust seasonings, blend again and transfer to an air tight container. Place in the fridge for 30 min or until serving time (you can eat it warm too if you prefer).

Before serving add some tbsps of the cashew cream and use fresh oregano to decorate. Enjoy!

Notes: use preferably organic ingredients.

*If you don’t have time to soak them overnight just place them in hot water for 10-15 min.

Anúncios

4 thoughts on “Vichyssoise de curgete e caju

    • Blog da Spice diz:

      Yara, talvez facto de eu ter colocado “caju cru” a tenha induzido em erro. Atenção que é caju cru mas seco e não caju fresco (já incluí uma nota na receita para clarificar). O caju demolhado e triturado é o que dá a esta sopa a textura cremosa e aquele travo tão característico e delicioso dos frutos secos. Acredito que a maçã vai alterar muito o sabor porque é adocicada… Se não tem caju experimente colocar leite de coco (use só aquela parte cremosa, não use a água para não ficar aguado). Penso que talvez seja um melhor substituto, mas nunca experimentei assim. Depois diga-me se funcionou 🙂 bjs

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s