Gallette de marmelo e nozes

Gallette 3

Esta é assim mesmo: rústica, acabada de sair do forno e deliciosa! Com fruta da época e cheia de ingredientes naturais. Conto-vos ainda um pouco sobre a minha experiência no curso de Culinária Macrobiótica.

Macrobiótica? Mas isso é o quê? Perguntam-me muitas vezes, em casa inclusive. Na visão do meu Pai são pessoas mal humoradas e que passam metade da vida a mastigar. É a visão que ele tem dos macrobióticos de há 30 ou 40 anos atrás. Hoje a história é diferente (pelo menos para mim).

Numa das minhas pesquisas sobre alimentação e vida saudável cruzei-me com este artigo do Francisco Varatojo. Li-o do início ao fim e, apesar de não estar familiarizada com alguns termos, senti uma epifania. Sempre achei que a visão dos alimentos do ponto de vista meramente nutricional era incompleta, que cada corpo é um corpo e por isso processam coisas iguais de maneiras diferentes e que a influencia da alimentação nos corpos era mais profunda do que aquela que conhecemos e supomos. Com este artigo fez-se luz. A comida, para além de injectar nutrientes na nossa corrente sanguínea, altera a nossa energia, o nosso estado de espírito.

Na primeira aula sobre este tema, Bill Tara referiu que só temos consciência do quanto a nossa alimentação afecta o nosso comportamento em casos extremos: álcool, drogas, etc. Mas a verdade é que tudo o que ingerimos nos influencia. A carne provoca um efeito, o peixe outro, os legumes outros, o açúcar outro, etc. E ganhar essa consciência é ganhar poder sobre o nosso corpo, pois aprendemos a ingerir os alimentos certos nos momentos certos e com isso atingimos o nosso potencial máximo.

Ao contrário do que parece, não é abstermo-nos de comer uma série de coisas. É sim, decidirmos de forma mais informada o que devemos ou não comer e quando. A única restrição é mesmo em relação aos alimentos processados, esses sim estão fora. É por isso uma alimentação mais natural, assente nos cereais integrais, vegetais, leguminosas, algas, elementos fermentados (pickles), entre outros, como forma de manter uma flora intestinal saudável e um processo digestivo fácil para o nosso corpo. E sim, esta dieta também inclui sobremesas, doces e muitas outras coisas boas.

Um bom exemplo é esta gallette de marmelo deliciosa. Feita com cereais integrais e com fruta nacional e da época. A base desta tarte foi inspirada numa receita do chef Marco Fonseca, do IMP. É perfeita para o lanche, acompanhada de um bom chá quente. Espero que gostem!


Ingredientes:

Base

1+2/3 de chávena de chá (cup) de farinha de espelta branca

1/3 de chávena de chá (cup) de farinha e castanha

1 c. sopa de geleia de arroz em pó (opcional)

1/2 chávena de chá (cup) de óleo de grainha de uva (ou outro que prefira)

1/2 chávena de chá (cup) de água

Recheio

3 marmelos médios bem maduros

4 c.sopa de xarope de ácer (mais se pretender mais doce)

1 c. sopa de canela em pó

1/4 chávena de chá (cup) de nozes em pedaços

Preparação:

Descasque os marmelos, retire as sementes e coza-os durante 40-50 min., ou até ficarem bem macios. Escorra-os e reserve.

Entretanto, numa taça misture bem as farinhas e junte de seguida os restantes ingredientes. Amasse bem tudo, até conseguir uma massa consistente e homogénea. Utilize os nós dos dedos para amassar e facilitar o processo. Forme uma bola e leve ao frigorífico num recipiente hermético durante 20-30 min para repousar.

Utilize 1/4 de um marmelo e fatie-o finamente para utilizar na decoração (opcional). Reserve. Num robot de cozinha triture os marmelos com os restantes ingredientes. Não triture demasiado pois pretendemos preservar alguns bocados.

Retire a massa do frigorífico, espalhe um pouco e farinha na bancada e molhe um pouco as mãos. Estenda a massa com um rolo, em todas as direções para conseguir uma figura mais ou menos circular, e até ter cerca de 0,5 cm de altura. De seguida ligue o forno a 180º e forre um tabuleiro com papel vegetal.

Transfira a massa para o centro do tabuleiro. Disponha o recheio do centro para as pontos e espalhe-o com uma colher, deixando uma margem de 7 a 10 cm em redor. Dobre essa margem por cima do recheio. Disponha o marmelo fatiado no centro da gallette para decorar (opcional) e adicione uma colher de xarope de ácer por cima, em zig-zag. Leve ao forno por 20 min. ou até a massa alourar. Retire e sirva ainda quente.

Nota: utilize ingredientes de origem biológica. Esta receita da base pode ser facilmente utilizada para outras tartes.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s