Chips de Kale com soja e amêndoas

Chips Kale e amêndoas

O snack salgado, crocante e saudável que todos precisamos de conhecer. Low carb, fácil de fazer e surpreendentemente delicioso.

Quem diria que a couve kale pode ser a nossa melhor aliada quando nos apetece um snack salgado? Eu certamente não “apostaria nesse cavalo”… mas a culinária não deixa de nos surpreender. Sei que está muito na moda, mas não sou amante da couve kale. Aqueles batidos verdes que volta e meia vemos, com couve, espinafres, fruta, etc. logo pela manhã não são para mim. Sou muito suscetível à apresentação visual dos alimentos e se não é apelativo não resulta comigo.

É por esta razão que gosto muito de embelezar os meus pratos. Pode parecer-vos uma perda de tempo, mas para mim não é. Acho que é um ato de cuidado como qualquer outro: arranjar o cabelo, maquilhar-me, pintar as unhas, olhar-me ao espelho, enfim cuidar de mim. Há várias formas de cuidarmos de nós e claro que a minha favorita é a alimentação. Apesar de ser um cuidado interior, que não é visível por si só, é talvez o mais importante. Por isso preparar com carinho, amor e estética tudo o que como faz todo o sentido para mim.

Aqui há uns anos atrás lembro-me de ver um programa da Oprah sobre dietas e alimentação (sim é um tema que nunca se esgota…). E uma das convidadas era uma Sra. franco-americana, autora de um livro que se intitulava “Why French Women don’t get fat” (porque é que as mulheres francesas não engordam). Ela defendia que tudo começa com a relação que mantemos com a comida. Comer como forma de nos recompensarmos ou penalizarmos é um erro, dizia ela, devemos comer por necessidade, para nos sentirmos bem e devemos investir tempo a preparar as nossas refeições e mesas. Defendia que as mulheres francesas tinham uma relação com a comida quase como com a moda: não se vestem por vestir e não vestem qualquer trapo, tal como não comem só por comer e não comem qualquer coisa. Há toda uma preparação, empenho e cuidado com os pormenores em ambas. Degustar de uma refeição com uma mesa bem posta, comida bem empratada e tempo para comer é muito diferente de comer em pé, com pressa, de dentro de uma embalagem e em cinco minutos.

Na altura andava a estudar e lembro-me de pensar que apesar daquilo fazer sentido, era para mim um pouco exagerado… Mas a verdade é que me ficou na memória e hoje percebo o que ela queria dizer. O ato de nos alimentarmos deve ser um ritual, um momento de cuidado interno e desde aí tento fazê-lo à minha maneira: não ponho a mesa com requinte francês mas tento sempre embelezar os pratos. 🙂

Quanto à receita, experimentem que não vão arrepender-se e podem até, como eu, virar fãs de kale (ainda que só neste versão…).


Ingredientes:

4 a 5 folhas grande de couve kale (bem lavadas e secas)

3 c. sopa de azeite virgem extra

1 + 1/2 c. sopa de molho de soja (use um sem glúten se preferir)

1 punhado de amêndoas laminadas s/ casca

1 pitada de pimenta preta em moinho (opcional)

Preparação:

Pré-aqueça o forno a 200ºC e forre 2 tabuleiros de forno com papel vegetal.

Agarre no talo central da couve e com uma tesoura (ou as mãos) vá separando as folhas à volta, até ficar apenas com o talo. Guarde-o para fazer outra receita ou caldo de legumes (veja aqui como). Se as folhas forem demasiado grandes, parta-as em bocados mais pequenos. Repita para todas as folhas.

Numa taça grande (a maior que tiver) juntes todos os ingredientes e mexa. De seguida envolva a kale na mistura, com as mãos, de modo a que todos os pedaços apanhem uma parte do líquido. Disponha a kale nos tabuleiros, com espaço entre cada pedaço e evitando que fiquem sobrepostos (isto é importante caso contrário não ficará crocante como se pretende). Leve ao forno por 8-10 minutos mantendo a temperatura,  ou até as folhas mirrarem um pouco e terem as pontas estaladiças. A couve deve manter-se verde, caso fique castanha quer dizer que queimou e o sabor revelará isso mesmo.

Retire os tabuleiros do forno, deixe esfriar uns minutos e passe as chips para uma travessa ou taça*. Sirva.

Nota: utilize de preferência ingredientes biológicos.

*Caso não a pretenda consumir de imediato não a acondicione empilhada pois as partes que ficam no fundo perdem a consistência crocante.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s