Rostis de batata e alho francês

Rostis de batata e alho francês2

Potato & leek rostis (VG & GF) – recipe in EN below

Se querem uma receita fácil para o almoço de domingo não procurem mais! Perfeita para dias de calor, acompanhada de uma salada verde ou de tomate.

O rosti é uma receita típica da culinária suíça, um género de pastéis de batata em formato panqueca. Inspirada nesse clássico, resolvi dar-lhe uma volta e incluir mais um vegetal e algumas especiarias que farão dela uma delícia garantida lá por casa. E em plena época da batata nova (e boa batata que temos cá por Portugal), tinha que lhe dedicar uma receita.

Nos últimos anos a batata tem vindo a perder adeptos para a sua concorrente batata-doce, à conta da máxima “a batata normal engorda”. A questão não é tanto a batata, mas sim como a ingerimos e o que ingerimos com ela. É comum comer-se batata frita e arroz branco numa só refeição e sim neste caso certamente estamos a ingerir mais hidratos do que necessitamos de uma só vez. Para além disso qualquer frito é mais calórico do que um cozido, assado, etc.

Continuar a ler

Anúncios

Puré de feijão branco

hummusdefeijacc83obranco

White bean purée – recipe in EN below

Procuram incluir mais leguminosas nas vossas refeições e não sabem como? Ora aqui está uma forma deliciosa. Falo ainda da importância de demolhar.

De uma forma geral perdemos o hábito de comprar as leguminosas secas e demolhá-las em casa. Queremos tudo mais rápido e prático, não queremos perder tempo com tarefas que nos parecem evitáveis e por isso cortamos caminho e compramos o feijão, grão, milho, ervilhas, etc. já cozidos e enlatados.

Ora isto é extremamente conveniente, sem dúvida (eu também compro de vez em quando). Porém tudo o que é industrializado está sujeito a processos de aceleração (às vezes pouco naturais) que muitas vezes desconhecemos, para além de certamente ter conservantes para durar muito mais tempo na prateleira. Já não falando da qualidade e sabor de leguminosas demolhadas em casa, em comparação com as de lata (sem comparação possível). Continuar a ler

Cogumelos em vinha d’alhos com puré de batata doce

Cogumelos em vinha de alhos com puré de batata doce

Sem ideias para a ceia de Natal? Querem incluir uma receita diferente e não sabem qual? Aqui fica a solução e prometo que até os mais céticos vão querer provar!

Este ano o Natal vai ser cá em casa. Convidei apenas a família mais chegada, ou seja, 25 pessoas (sim isto é a família mais chegada senão éramos uns 70)!! Vai ser muita gente e a logística não será fácil, mas uma das coisas boas de recebermos a família em nossa casa, é o facto de podermos fazer as coisas à nossa maneira. Não quer isto dizer que descuremos a vontade dos outros, nada disso, mas dá-nos alguma margem de manobra para mudar alguns hábitos e incutir outros por exemplo.

Continuar a ler

Salada fresca de meloa, abacate e tomate cherry

IMG_0952

Uma salada perfeita para levar para a praia e que se prepara em 5 minutos! Deliciosa, fresca e bem nutritiva, que tira partido dos vegetais e fruta da época.

Quem disse que salada leva obrigatoriamente alface? Não sei se alguém o disse, mas se o fez está enganado e a prova é esta. Uma das coisas que mais gosto na culinária é que não há verdades universais nem regras mágicas (pelo menos para mim), a criatividade é o centro de tudo e isso dá-nos infinitas hipóteses, até numa simples salada.

Agora que tem havido dias mais constantes de calor (apesar do verão continuar tímido), lembrei-me de recuperar uma das minhas saladas favoritas para a praia. Para além de ser muito fácil de fazer, não precisam de tupperware, já que podem transportá-la e comê-la dentro da casca da meloa, como aparece aqui.

Continuar a ler

Aveia com espargos e cogumelos salteados

Aveia com espargos e cogumelosJá provaram aveia cozida? Se ainda não nem sabem o que andam a perder! Aqui fica uma receita fácil, deliciosa e vegan, perfeita para almoço ou jantar.

Desde que descobri a aveia em grão que não quero outra coisa. É tão fácil de fazer e tão deliciosa que fiquei rendida e não há semana em que não a cozinhe. Cá por casa este prato já ganhou fãs e estou a colocar aqui esta receita a pedido da minha irmã Rita, que volta e meia me pede para repetir a dose. Continuar a ler

Risotto de caxinde

IMG_5862Delicioso é o mínimo que se pode dizer deste risotto. E o aroma…nem consigo descrever, é simplesmente inebriante! 

Esta foi a última receita que fiz em Angola, antes de regressar. E fez todo o sentido porque uma das ervas que mais utilizei nesta minha estadia de 2 anos foi o caxinde, ou erva príncipe ou capim-limão como por vezes é conhecida. A primeira vez que provei um prato com erva príncipe foi há mais de 10 anos, em São Tomé, e fiquei fã do sabor e aroma.

Continuar a ler

Couve-flor agridoce com molho de iogurte

IMG_4116[1]

Para os amantes das asinhas de frango, aqui fica uma opção vegetariana, feita no forno e bem deliciosa! São perfeitas para as “segundas sem carne” ou como entrada para um jantar descontraído.

Comecei a contar-vos no post anterior as minhas aventuras pela Namíbia, em especial as peripécias do nosso último safari. Se vos dissesse que houve apenas um ponto alto estaria a mentir porque toda a envolvência de um safari é por si só um êxtase e o episódio com o elefante deixou-nos a adrenalina em altas. Mas penso que o ex libris de qualquer safari são os grandes predadores, os leões. E nós estávamos a transbordar de entusiasmo com a esperança de os podermos ver. Continuar a ler

Super raviolis de abóbora

Jumbo pumpkin raviolis - recipe in EN below

São enormes, cremosos, vegan e sem glúten. Uma versão bem menos calórica dos raviolis normais, mas deliciosos!

Não consigo escolher apenas um prato favorito, tenho vários. Mas posso dizer-vos que no top 10, metade devem ser pratos de massa. Se fosse possível subsistir de forma saudável a comer apenas massa com azeite, ou com manteiga, ou por si só, eu seria a candidata ideal. Mas não é. Uma vida saudável faz-se diversificando e não falo apenas de alimentação. É necessário diversificar também o nosso dia a dia, as nossas actividades, os nossos pensamentos, as nossas experiências.

As rotinas dão jeito e são boas do ponto de vista organizacional, mas há que as quebrar de vez em quando. Eu canso-me muito facilmente das rotinas e dou por mim a tentar fazer coisas diferentes a meio da semana. Sei que com filhos, família, etc. é mais difícil, mas não é impossível. Por vezes acomodamo-nos porque é mais fácil, dá menos trabalho e acima de tudo porque andamos cansados a maio parte do tempo. Continuar a ler

Puré de brócolos e couve-flor com funcho

img_39101Querem um acompanhamento rico em vegetais, saboroso e fácil de fazer? Não procurem mais! Este é tudo isso e vegan.

Às vezes sinto que me faltam acompanhamentos para os pratos de peixe no forno. Costumo acompanhar com legumes no forno, banana-pão assada (se nunca experimentaram não sabem o que perdem!), batata-doce, salada, mas não sai muito disto. E peixe assado é tão bom que vale a pena ter um acompanhamento à altura. Concordam?

O puré de batata pode ser uma opção (falo do verdadeiros claro!). Eu pessoalmente adoro misturar o molho quente do peixe com o puré. As texturas cremosas e a junção de sabores e cores casam na perfeição. Porém sinto que nós em Portugal somos um bocadinho “escravos” da batata (entre outras coisas). Basta pensar na quantidade de pratos cujo acompanhamento é este tubérculo e percebemos que provavelmente devíamos (e podíamos) variar bastante mais…

Continuar a ler

Falafel no forno

img_3776

Esta é uma alternativa aos falafel originais, fritos em óleo. Mas nem por isso deixam de ser crocantes, saborosos e fáceis de fazer. Pita shoarma sim, mas com falafel saudável!

Quem nunca comeu pita shoarma ou não é deste planeta ou vive no mato. Sei obviamente que pode haver outras razões, mas estas são as duas que me ocorrem de momento dada a globalização desta fast food.

Há uns 10 ou 15 ano atrás (se bem me recordo) houve em Portugal o boom de um franchising israeloportuguês (sim o Joshua’s Shoarma foi criado em Portugal) e de repente havia lojas de pitas em cada esquina. Aqui por Angola as comunidades provenientes do médio oriente (especialmente a Libanesa) potenciaram o desenvolvimento da gastronomia. Prova disso é que no mais recente centro comercial da capital, um dos primeiros restaurantes a abrir foi o das pitas shoarma.

Continuar a ler